Prefeito de CDS pode ter influenciado na eleição da Câmara, diz vereador em entrevista

1 – No dia primeiro do ano o senhor e outros vereadores tomaram posse na Câmara de Vereadores de Coronel Domingos Soares, e, inicialmente lhe pergunto, quais são suas metas na legislatura?

R – Veja, quando iniciei meu projeto parlamentar realizei um planejamento para legislatura, e serei fiel ao que prometi, tanto é que os cidadãos poderão cobrar minhas ações com base no que propus. Em especial tenho uma bandeira de independência entre o executivo e legislativo, mas afora isso quero trabalhar a obrigatoriedade de audiências públicas conjuntas com as sessões legislativas, que os servidores públicos sejam informados quando da alteração de leis pelo executivo previamente, ainda busco a complementação das aposentadorias para os servidores exonerados em razão desse fato, atenção especial ao assentamento Marcon, trabalhar na regularização fundiária urbana e rural, etc. E voltando ao legislativo quero trabalhar a criação das emendas impositivas, para que realmente o Poder Legislativo deixe de ser mero coadjuvante e passe a ser protagonista que é seu lugar.

2 – O Senhor acredita que possa existir independência entre os poderes em um município como Coronel Domingos Soares, onde a Câmara de Vereadores tem uma tradição de pequenas indicações de serviços em estradas, nomes de ruas, e projetos sem relevância?

R – Então, é justamente isso que venho combater. Infelizmente o Executivo exerce poder sobre os parlamentares, e, eu trabalho pela independência da Câmara. Inicialmente o Prefeito realizou uma reunião conosco para dizer que não tentaria qualquer tipo de manipulação no Poder Legislativo, no entanto, ao que tudo indica no dia seguinte já estava realizando tratativas com vereadores, eu não vi isso com bons olhos, mas mesmo assim, eu vou lutar pela Justiça e Independência da Câmara, e troquei poucas palavras com o Presidente da Câmara até agora, mas nessas, ele se comprometeu em defender bandeiras comuns, como  nossa autonomia. O Presidente é uma pessoa culta e sabe se ele não fizer isso será mais uma administração de subserviência, não minha, mas da instituição que tem ele como representante direto.

3 – Na eleição da mesa diretora no dia 01, o Senhor fez um requerimento para que a votação fosse aberta, por qual motivo tomou essa atitude?

R- O requerimento foi feito com base no Regimento Interno, embora o vereador Castanha e Professor Anderson defenderam o voto secreto com razão regimental, é certo que seria possível o voto ser aberto. Eu quero ser transparente. Existe decisão judicial da própria Câmara que garante a aplicação do Regimento Interno e a votação aberta. Eu não tenho medo das minhas escolhas e meu eleitorado saberá o que eu fiz, como votei, como estou agindo, “não sou vendido ou comprável”, não serão cargos no Executivo, licitações, ou gratificações que afetarão minha honestidade. O voto aberto demonstraria quem foram os vereadores que apoiaram a chapa. Inicialmente tínhamos a pretensão de apresentar chapa para mesa, no entanto os vereadores João Evandro e Tonho do Viveiro não nos deram apoio, e assim, não apresentamos chapa, mas se o voto fosse aberto apresentaríamos uma chapa para população tomar conhecimento dos fatos.

4 – O senhor acredita que existiu manipulação ou algum tipo de vantagem para votação da mesa diretora da Câmara Municipal?

R – Seria prematura uma afirmação dessa da minha parte, e, eu mesmo votei no Vereador Castanha levando-se em conta que o voto seria fechado, nosso grupo político que são dos vereadores Kiko, Adilson Santa Fé e Tiçãozinho, resolveu por apoiar o colega, até porque ele nos transparece uma pessoa íntegra e honesta, e eu acredito que ele conduzirá os trabalhos de forma exemplar. O que pode ter acontecido é o Executivo, ter interferido com cargos e vantagens indevidas, mas não o nosso Presidente, e se o Executivo fez intervenções com promessas, logo, logo já vamos identificar esses fatos. Se vermos nomeações de Cargos em Comissões de parentes, esposas, etc de vereadores, ou até mesmo licitações direcionadas para certas empresas, de cara restará provado a manipulação, e dai tomaremos as medidas judiciais cabíveis.

5 – Suas considerações finais, vereador:

R – Eu quero agradecer ao espaço concedido, e dizer ao nosso Prefeito Jandir Bandieira, que pode contar comigo, não vou me furtar de aprovar projetos que beneficiem o povo de domingossoarense. Ele pegou a prefeitura com aproximadamente R$ 11.000.000,00 (onze milhões de reais), então poderá fazer história na administração. Essa administração é diferente, não há sucateamento, não há setor parado, não poderá existir desculpas para demora na tomada de medidas. Confio plenamente na sua equipe, na qual tenho ao menos três amigos mais íntimos, que são a Marly, Glênio e Jayme, e conheço a competência. Então, reafirmo, “estou vereador” para cooperar, e, ajudar o povo de Coronel Domingos Soares. Ao meu Presidente Castanha, externo minha confiança plena, e já explanei a minha disposição para ajudar, para deixarmos de ser coadjuvantes e tornarmos protagonistas, sempre respeitando os limites constitucionais.

REPÓRTER ALENCAR
© Copyright 2019, Ludegério Alencar Pereira Eireli.
CNPJ: 32.612.586/0001-31
/ Agências de notícias, propaganda e MKT. Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. Todos os direitos reservados.