Perícia confirma que família foi assassinada antes de casa ser consumida por incêndio

A partir dos resultados dos laudos periciais sobre duas das quatro mortes ocorridas no último sábado, 08, na cidade de São Domingos, onde uma residência foi consumida pelo fogo, a Polícia Civil de Santa Catarina – PCSC, investiga o fatídico episódio como criminoso. De acordo com os laudos do Instituto Médico Legal – IML, do Núcleo Regional de Perícias de São Lourenço do Oeste, Neocir Rodigeri, de 34 anos, apresentava ferida cortante em região cervical, sendo sua morte provocada por hemorragia.

Raquel Aparecida Alves, de 31 anos, apresentava ferida perfuro-cortante na cervical e na região anterior de hemitórax, tendo sido a hemorragia aguda, a causa de sua morte.

Conforme o delegado que investiga o caso, tais elementos, examinados em conjunto à ausência de sinais de lesões por inalação ou fuligem em via aérea, indicam que as lesões foram produzidas quando as vítimas ainda estavam vivas, ou seja, que suas mortes não foram decorrentes do fogo que consumiu toda a residência onde o casal morava com duas crianças (também vítimas), mas sim um crime de sangue.

Ainda de acordo com o delegado, Neocir foi identificado pela impressão digital, enquanto que Raquel, pela arcada dentária. As identificações das duas crianças (para que na sequência os corpos sejam liberados) aguardam resultados de testes de DNA, devido à proporção e grau das queimaduras.

As investigações estão à cargo da Divisão de Investigação Criminal de Fronteira (DIC-Fron) de São Lourenço do Oeste. O Instituto Geral de Perícias (IGP) também participa ativamente.

REPÓRTER ALENCAR
© Copyright 2019, Ludegério Alencar Pereira Eireli.
CNPJ: 32.612.586/0001-31
/ Agências de notícias, propaganda e MKT. Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. Todos os direitos reservados.